MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

quarta-feira, janeiro 18, 2017

Costa e o truque: até quando?

Tudo começa a ficar mais claro: «Governo mantinha mais de mil milhões cativados no final de novembro». E se Passos Coelho foi além da Troika, então António Costa também repetiu a austeridade e foi além da Comissão Europeia na meta do défice. É a Esquerda na nova versão de, afinal, a austeridade continua. E só não vê quem não quer, ou não pode. E ainda vai acordar a tempo?

Mais uma derrota


Ricardo Salgado constituído arguido na Operação Marquês

A miúda feia não quis sair com o giraço da turma

terça-feira, janeiro 17, 2017

Assunção Cristas chama mentiroso a Costa

Pedro Nuno Santos apertado

No debate quinzenal, no Parlamento, Pedro Nuno Santos não consegue esconder o ar preocupado e agitado.

Passos começou a fazer oposição

Porque é que não pode haver oposição?

Uma decisão acertada

Escrever direito por linhas tortas

Governo pisca-pisca


Marcelo: bailete com temperatura a subir

segunda-feira, janeiro 16, 2017

António Costa: a segunda grande derrota

Apesar da campanha levada a cabo pela imprensa que insiste em levar ao colo o XXI governo constitucional, António Costa, depois da monumental derrota nas urnas, em 4 de Outubro de 2015, averbou a segunda grande derrota política com a tentativa de redução da TSU: por um lado, o PCP e o Bloco não engoliram a arrogância do primeiro-ministro em avançar com uma medida que contraria o acordo político estabelecido com o PS; por outro, Pedro Passos Coelho não se deixou intimidar pelo presidente da República e alguns companheiros de partido e anunciou o voto contra no Parlamento. É caso para dizer que está cada vez mais difícil fazer passar os truques.

Vieira da Silva: e debaixo da mesa?

Costa desesperadamente TSU

A campanha contra Pedro Passos Coelho, por causa do voto negativo anunciado do PSD em relação à redução da TSU, é a dramatização que António Costa espera... Desesperadamente.

Os fracassos do Governo são culpa da oposição

Passos afinal também sabe fazer política

A questão da «TSU» é política

A derrota dos porcos

Espantar o gado


Amante para mexer na TSU


domingo, janeiro 15, 2017

O Tribunal Plenário

História de um mártir


sexta-feira, janeiro 13, 2017

Em guerra contra Trump


Novo Banco: nacionalização ou encobrimento?

Muito se tem argumentado sobre as vantagens e desvantagens da nacionalização do Novo Banco. Mas sobre os números, nadinha de nada. É caso para dizer que com tanto entusiasta é de temer que seja para esconder alguma coisa. Será?

Almaraz: e o bailete continua

A decisão espanhola de construir um aterro de resíduos na Central Nuclear de Almaraz sem dar cavaco a Portugal é muito reveladora do estados das relações bilaterais entre os dois países. Entretanto, Marcelo Rebelo de Sousa continua o bailete e continua a lavar mais branco, ao ritmo suave da posição do governo de António Costa. Ah, mas nem tudo está perdido. Felizmente, o Presidente da República já conseguiu falar 12 minutos ao telefone com Donald Trump... E António Costa, à boleia do almoço com a família em Goa, espera resultados da vista à Índia lá para o ano....

O duo Trump-Putin

Snowden participa em conferência no Estoril

Costa está a chegar: e a crise?

O primeiro-ministro tem à sua espera a maior crise desde que tomou posse: fazer de conta ou abraçar eleições antecipadas?

Teixeira dos Santos: política sem vergonha

Homens do lixo

Lalanda e Castro fica em prisão domiciliária

Prémio Pulitzer garante

«O jornalismo de investigação vai sobreviver».

quinta-feira, janeiro 12, 2017

Trabalho, capital e o resto no crescimento

A pressa de Costa


Paulo Macedo: surpresa?


Já cheira a pré-campanha eleitoral

Será por causa da redução da TSU que o XXI governo constitucional vai cair? O primeiro indicador está dado (infelizmente)!), com a cobertura mediática da deslocação do primeiro-ministro à Índia. Não há quaisquer dúvidas: já cheira a pré-campanha eleitoral. 

quarta-feira, janeiro 11, 2017

Dívida pública: alerta laranja avermelhado

Novo Banco, uma história mal contada

O legado político de Mário Soares

Barack Obama e os fantasmas

O primeiro presidente negro dos Estados Unidos da América falhou estrondosamente. Barack Obama prometeu muito e afirmou a convicção de que tudo é possível, mas a realidade não cabe no seu slogan de campanha eleitoral. Obama deixou os serviços secretos norte-americanos liderar a política externa. E por isso permitiu a criação dos fantasmas que ensombraram o seus dois mandatos e marcam o seu legado: Guantanamo, Snowden, Ucrânia, Síria e... Donald Trump.

E se fosse Passos Coelho?

António Costa não interrompeu a visita de Estado à Índia para estar presente no funeral de Mário Soares. É uma decisão que merecia ser debatida, mas o silêncio continua a imperar. E se fosse Pedro Passos Coelho...? 

Razões para admirar Mário Soares

O Diabo que por aí anda

Para onde vai o tempo quando o tempo acaba?

Debatem leve, levemente

Soares morreu, viva Portugal!



A última lição de Mário Soares

terça-feira, janeiro 10, 2017

Mário Soares: um par de segundos








À procura doutro pai

Os regimes também morrem

Soares e os PS europeus. Ter razão antes de tempo

Mário Soares, libertar a liberdade das “liberdades”

O poder de Soares


sexta-feira, janeiro 06, 2017

Novo Banco: ai os tachos

Prece que só agora se descobriu quem é e o que faz a Lone Star. E a elite está preocupada - agora! - com o futuro  que pode ser dado ao banco. Ah! Parece que é por causa de poder ser "esquartejado"...

É pouco, mas é bom

Desemprego volta a cair para 10,5%.

O dinheiro dos portugueses e o poder dos políticos

Campos e Cunha admite pressão de Sócrates

As disparidades nunca vêm sós

Más contas...

Doenças incuráveis

quinta-feira, janeiro 05, 2017

Dia extraordinário, mas amanhã também é dia

Depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter feito uma declaração sobre a dívida pública, as taxas de juro e a taxa de inflação, tão ignorante quanto hilariante, hoje o dia nasceu com forte nevoeiro; entretanto, rebenta uma ameaça de morte ao árbitro que vai apitar o próximo jogo do F.C.P.; de seguida, surpreendentemente, surge uma ameaça de bomba em Lisboa; ao fim da tarde, um filme viral sobre o espancamento de um jovem de 15 anos, que ocorreu há dois meses à porta de uma escola, tomou conta da agenda mediática. E ninguém quis ouvir o ministro da Educação. Amanhã, também é dia. E cada vez mais preocupante.

Sporting: um clube irreconhecível (actualização)

O presidente tenta replicar o pior do dirigismo desportivo, o treinador envergonha a língua portuguesa, a comunicação roça a grosseria e os jogadores perdem a cabeça em campo: eis o retrato do que resta de um Sporting irreconhecível.

P. S. Conselho de Arbitragem convoca reunião de emergência com clubes.

Juros da dívida superam os 4%

António Costa está de partida para a Índia. E o país fica à espera de Marcelo Rebelo de Sousa, desejando que não atire com mais um discurso palavroso para manter o bailete. Ou será que vai ficar calado e escondido em Belém?

O mundo de Hollande e dos serviços secretos

A banalidade trágica: o terrorismo de Estado investigado pelo jornal Le Monde.

CGD: atirar areia para os olhos

António Domingues desmente com todas as letras o XXI Governo. A imprensa faz de conta que não percebeu. A recapitalização da Caixa Geral de Depósitos avança sem presidente e sem se perceber o que está na origem do buraco financeiro. António Costa parte para a Índia. E Marcelo Rebelo de Sousa parece uma máquina de lavar roupa. É um mau início de 2017 para Portugal.

terça-feira, janeiro 03, 2017

O diabo em 2017


Os segredos pouco secretos de Juncker

Simplesmente miserável

A única questão que interessa sobre Passos Coelho

Promessas e balanços

Caixa sem rei


sábado, dezembro 31, 2016

Excelente Ano Novo



2016: o ano que matou o sonho

No último dia de 2016 é impossível passar ao lado do extraordinário governo de António Costa. Um governo de esquerda, apoiado pelo Bloco de Esquerda e PCP, a cumprir rigorosamente o Tratado Orçamental, a praticar uma política de austeridade (disfarçada), a salvar bancos com o dinheiro dos contribuintes, a diminuir a TSU e a afundar o que resta da Educação e Saúde públicas é algo nunca visto. É o fim do sonho de várias gerações.

A saia travada da geringonça

Lágrimas e insultos

A esquerda comprou um burro coxo

quarta-feira, dezembro 28, 2016

Gado e jornalistas

Por muito que se possa estranhar uma certa apatia no escrutínio da imprensa ao XXI governo constitucional, é bom que os governantes e demais partidos que o suportam tenham um pingo vergonha e comecem a compreender que há limites. Domesticar gado ainda não é igual a domesticar jornalistas. Ainda há esperança...

Estamos no grau zero, certo?

A mandíbula de Dalí

O elogio de Santos Silva às feiras de gado

A festa de 40 milhões


 

terça-feira, dezembro 27, 2016

Ministro rasca mas poderoso

As tiradas de péssimo gosto são mais do que muitas nos últimos 15 anos. Pela quinta vez empossado como ministro, a gaffe ou nódoa de Augusto Santos Silva não deu origem a qualquer pedido de demissão. Além de rasca, o que o impede de qualquer leviandade em representar a cidade do Porto ou até o Norte, é caso para dizer que nem António Costa já manda e/ou tem mão nele.

Santos Silva: Gaffe ou nódoa?

O BCE é uma ameaça maior do que o populismo

A infantilização do discurso político

Renda abusiva


sábado, dezembro 24, 2016


Aproveitem as Festas

Mais um Natal e um Ano Novo à porta. É hora de aproveitar. Para o ano tudo pode ser diferente.

Votos para o novo ano

Programa das festas


A torneira vai fechar


sexta-feira, dezembro 23, 2016

O regresso da política da fé e do sangue

A Europa imbecil


Em tempo



quinta-feira, dezembro 22, 2016

A carta ao Pai Natal em sete desejos

Os lesados do estado das coisas

Investigação a Sócrates termina em Março de 2017

quarta-feira, dezembro 21, 2016

BCE fecha compras de dívida em 2016

«Juros portugueses nos 3,7%».

PSD: fantasmas oportunistas

Enquanto Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa tentam "escolher" o líder do PSD, os candidatos a candidatos são cada vez mais fantasmas oportunistas. Curiosamente, nem todos pensam no assalto...

Lesados do BES e o mistério

«As explicações que António Costa não quis dar».

A impotência é o contrário da democracia

«Tudo à nossa volta nos ajuda a celebrar o Natal mas nada nos ajuda a salvar as crianças de Alepo».

Mariana Mortágua eleita

Aqui chegámos

Gastar à tripa-forra

Sanguessugas

A taxa da vergonha


terça-feira, dezembro 20, 2016

Complexo de assassinato

Ladroagem

Regime semi-marcelista

«Nos próximos tempos, o regime será semi-marcelista e isso é uma novidade política poderosíssima ao fim de 42 anos de democracia».

Os esquecidos do BPN

segunda-feira, dezembro 19, 2016

Jornalismo face a mais uma "Primavera Marcelista"

Nunca o jornalismo foi tão importante como hoje. Com o branqueamento das negociatas e dos grandes empresários que lambem o Estado e o crédito dos bancos como quem chupa um gelado, de uma Justiça para os ricos e outra para os pobres que batem com as costas na cadeia, dos elogios ao SNS enquanto o povo morre à mercê das bactérias resistentes e do transporte entre hospitais, etc, etc... Só faltava um presidente num regime infantilizado, uma espécie de revisitação de mais uma "Primavera Marcelista".... Com a chancela do PS, Bloco de Esquerda e PCP.

Juntas de freguesia ao serviço dos CTT?

O homem que está a mais

«A peronização do regime que Marcelo está a efectuar implica alterações à direita, sobretudo no PSD. Para Marcelo (e também para Costa) é preciso que o PSD se desembarace de Passos».

Camião em Berlim faz pelo menos nove mortos

Marcelo, BES e o bailete

Milhões do INEM na teia de Sócrates e Cunha Ribeiro



“2011” nunca aconteceu

«Em Lisboa, há uma pequena “aldeia” com cerca de 1000 pessoas; mais ou menos, mas não é necessário ser exacto. Vamos chamar-lhe a “aldeia dos 1000”. Esta aldeia é composta por dirigentes partidários, altos funcionários do Estado, empresários, jornalistas, financeiros e banqueiros. Conhecem-se bem e sabem o suficiente sobre as vidas uns dos outros. Frequentam os mesmos restaurantes, vão às mesmas festas, e muitos deles estudaram nas mesmas escolas e universidades. Os membros desta aldeia decidem o que o resto do país deve saber e deve conhecer sobre a realidade. É esse o seu grande poder e a linha condutora de quase tudo o que fazem. Em privado falam sobre quase tudo e tudo combinam. Mas o que dizem em público é filtrado. Os portugueses só devem saber o que os aldeões decidem que devem dizer».

Sondagem de fim de ano

Os “pilares” da nossa cultura

Passos Coelho ganha fôlego

A entrevista de Alberto João Jardim ao Público foi um surpreendente presente de Natal para Pedro Passos Coelho. É que a vontade de um certo Bloco Central é tanta, mas mesmo tanta, com o apoio da renda trabalhada a partir de Belém, que até no melhor pano cai a nódoa...

Vítima da geringonça

«Não seria melhor para Passos deixar a astrologia política e começar a apresentar ideias?».

Estatísticas


A máfia do sangue e o jornalismo


O genocídio de Alepo


quarta-feira, dezembro 14, 2016

A história mais mal contada

Morrer de frio em 2016


Rio de Contas


terça-feira, dezembro 13, 2016

Ana Rita Cavaco: bastonária da Ordem dos Enfermeiros

«Doentes dois dias sem comida e sem medicação em hospital português».

Milagres é mais em Fátima

Bloco: o distanciamento

Mário Soares: um momento

Mário Soares

Cunha Ribeiro preso (em actualização)

«Ex-presidente do INEM também suspeito de fraude em compra de computadores».
«Ex-presidente do INEM preso por suspeitas de corrupção na “máfia do sangue”».

«Cunha Ribeiro, ex-presidente do INEM, foi detido pela PJ».

«Ministro da Saúde aplaudiu atuação das autoridades que investigam negócio do plasma».

«Antigo presidente do INEM preso por corrupção».

«Ex-presidente do INEM preso por corrupção».

«Ex-presidente do INEM preso por suspeitas de corrupção».

Às crianças de Alepo

Trump: táctica ou diferente de Obama?

O julgamento ideológico tem sido a máxima em relação ao presidente norte-americano eleito, ainda antes de iniciar funções, mas eis duas medidas surpreendentes : o fim das loucuras despesistas do novo avião presidencial e do novo programa dos caça-bombardeiros F-35.

Direito ao trabalho e salário mínimo

Um futuro que não seja velho

O Melhor de sempre


Quem é que, afinal, não é populista?

segunda-feira, dezembro 12, 2016

Onde está o lápis azul?

A grande vitória de Assad

Renzi ou quase nada


sábado, dezembro 10, 2016

Marcelo, feelings e negócios de Estado

O Estado-Regulador portuguese style

As oposições entre 2011 e 2015 mentiram

«Depois de 1974, todos os partidos promoveram o Estado social, com destaque, aliás, para o PSD, no governo entre 1980 e 1995. Em 2002, algo mudou. O PSD e o CDS passaram a governar em Portugal só quando é preciso fazer ajustamentos, como em 2002-2005 e em 2011-2015. O PS aproveitou para adoptar a velha rotina comunista, em cartaz desde o VI Governo Provisório de 1975, de acusar os governos de “destruir” os serviços públicos. Foi esse coro que ouvimos às oposições durante o ajustamento da “troika”. Não era exagero, era mesmo mentira, e nem entusiasmou demasiado o eleitorado. Mas ainda serviu, após as eleições, para justificar a aliança parlamentar com que os derrotados assaltaram o governo. De facto, há uma coisa que o actual governo e a sua maioria já destruíram em Portugal: o debate político sério. Começaram com uma mentira, só com mais mentiras podem continuar».

Fidel e o dérbi

Teoria e prática

«No poder, os camaradas sempre souberam tratar bem dos seus».

sexta-feira, dezembro 09, 2016

Corrupção: faz-de-conta que não

Maria José Morgado: a voz inconformada

«O Ministério Público não tem um único perito informático».

Chutar para canto


Hipocrisias


quinta-feira, dezembro 08, 2016

Voltamos às Grandes Obras ruinosas do Regime?

Marcelo: o que esconde a crise na CGD?

O presidente da República continua desesperadamente a tentar branquear o que se passou e está a passar na Caixa Geral de Depósitos. As declarações do presidente da República quase parecem roçar o desespero, com apelos sucessivos a um pacto de silêncio (mais um!) para, eventualmente, que tudo fique na mesma. É assim que se defende o sistema financeiro? Até quando? Até mais um escândalo qualquer como o BES, o BANIF e a CGD? Por que será?

Os salários da CGD e os motoristas de Estocolmo e Nova Deli

As teias que o poder tece

CGD: a esquerdalhice

Alguém de esquerda poderia imaginar que Bloco, PCP, PEV e  PS fossem capazes de chumbar projectos sobre a «transparência e remunerações na Caixa Geral de Depósitos».

Pós-verdade

CGD: a hora dos trabalhadores

A roubalheira a céu aberto que se verificou na Caixa Geral de Depósitos, para já sem qualquer risco para quem a liderou, vai ter um preço alto para os trabalhadores do banco público e para todos os contribuintes: por um lado, os  portugueses vão ter que lá colocar milhares de milhões de euros (ainda não se sabe quanto, pasme-se); por outro lado, 2200 trabalhadores vão para a rua, 180 balcões vão ser encerrados e ainda está prevista a alienação das operações em Espanha, Brasil e África do Sul, e fecho de escritórios em Londres e Nova Iorque.

Orgia ruinosa na Caixa